22 novembro 2008

LIBIDINOSA

Ela provoca. Sabe que pode, sabe que é atraente, que traz em si um certo mistério, uma sedução inata, uma sensualidade fluida. Ela transpira desejo; parece frase feita, mas descreve-a com perfeição. Ela se move lentamente, despejando sua libido, derramando sua sedução sacana, transbordando. Como alguém que ouve música onde não há, que dança sem querer. O jogo dos quadris hipnotiza, o jeito como prende de repente uma mexa do cabelo que cai, um jeito com que leva o dedo aos lábios, os lábios entreabertos num sorriso sem vergonha, carregado de intenções, boas, más e terceiras. Os olhos têm um certo brilho sexual, uma cara safada de quem quer. Ela quer… Sua auto-confiança intimida, cala e atrai. Caminha calma e certeira em tua direção. Pára perto o suficiente para criar um certo campo magnético, aquela proximidade infernal em que é possível sentir a respiração, o calor, mas ainda não a pele. A expectativa da pele paralisa. Ela toda paralisa. Ela te deixa tensa, uma tensão que contrai, que prepara para o embate. Ela pergunta alguma coisa, você não sabe o quê. Prestou atenção demais na voz, na respiração que sai da sua boca com a pronúncia das palavras, para entender o que ela disse. A voz entra pelo teu ouvido e percorre o corpo todo, se infiltra sob a pele, sai pelos poros, aumenta a tensão. Perdida você não sabe o que dizer, presa na armadilha infalível daquela mulher, não enxerga a saída, não quer sair… Entrar. Entrar. Entrar. Ela repete o que quer que seja e chega mais perto. Esbarra sem querer o lábio úmido no teu pescoço. O cabelo roça tua face pálida. Ela ri. Sacana, ela ri. Sabe o efeito que causa. Segura teu braço displicente, vira o rosto e ri sonoro. Ela sabe que domina, que atrai, que amarra. Aquela risada irrita, mas aumenta o tesão, o desejo de possuir aquela mulher desinibida, convencida, confiante. Quem ela pensa que é? Você agarra aquela cintura despudorada, cola o corpo dela no teu e olha fundo nos olhos dela: “Você vai ser minha, entendeu?”. Ela de repente respira ofegante, parece insegura, parece ainda mais linda, tua. Você passa os dedos pelo pescoço dela, sobe pela nuca, pára os dedos entre os cabelos. Traz ela para mais perto. Presa. Morde o lábio dela, lambe provocativamente com a mesma fúria com que deseja lambê-la toda. Invade, toma posse, se apodera. É tua essa mulher.
© 2003-2008 Uva Na Vulva
- Todos os direitos reservados
......

8 comentários:

O Fantasma e o Anjo disse...

HUUUMMMM
Delicia
beijo e abraço

Olavo disse...

Muito bom..lindo..gostoso de ler..como td que posta sempre..
beijão minha querida
bom final de semana
Olavo

suavesencantos disse...

Tem pessoas q provocam despudoradamente,deliciosamente,nos deixando loucas de desejos por ela,é uma delícia isso,adoro,


bjs.

dreamer disse...

uau! é + - assim todas mulheres têm q ser! são deusas, afrodites so esperando um toque para despertarem \o/

na ponta da língua disse...

"aumenta a tensão..."

texto deliciosamente cheio de te(n)são...

beijo-te mulher!

» Nøélya « disse...

Eitah história...

Deliciosamente linda.

Beijos Sandrinha!!!

Carol e Carolina disse...

Hummm...que delícia.
Adorei.
Beijos

ELTON NEVES O ANJO DAS LETRAS. disse...

Um texto que eu Sandrinha gostaria de tê-lo escrito,vc como sempre tem uma visão e sensibilidade clinicas para escolher os mais lindos escritos para postar em teu fantástico blog. As palavras envolvem,nos levam á viajar na exploração do corpo desta linda mulher descrita minuciosamente no texto,pode-se sentir cada detalhe dissecado em cada letra,pode até mesmo sentir cada respiração,suspiro de excitação das duas personagens protagonistas,á tal ponto que quem lê,assume o lugar de uma das duas,sentindo tocando assim,a outra,a mulher por todos desejada. Um texto bem escrito,de tão minucioso,se torna real ante os nossos olhos e sentidos todos. Adorei,beijos,Sandrinha,sabe,vc é minha,rs...