26 outubro 2008

DEVANEIO

A chuva
Se derrama...

Pelos vidros da janela
Enquanto uma ânsia enloquente

Me Percorrer

O insano instinto
clama reclama..

Devorando-me!
Fazendo minha alma vibrar!!
E a ansia
Que se estende pelo meu corpo
Por ti chamar...

Prendo as mãos
Contra os braços!!

[mas os meus dedos os segura]
Como se prendessem a teu corpo.

Sensações de [te-la]
Me invadem
Me consomem!

E subitamente
A vontade do desejo abstrato
Por segundos se concretiza !!

Tenho-te aqui!
Me despindo!

E cada suspiro de meu desejo
Sentindo!

Me deixe despida!!!

Meus desejos[por ti]
São mais vorazes
Que a própria lógica e sua [in]sensatez

Que vontade LOUCA é essa ?
Que se torna avassaladora ?

TOCA-ME!!

Me deixe Despida!!

Seguro -me mais forte!
E a sensação que contenho é de desesepero ??
Não !!
É a ansia saciando os seus desejos
De [ obte-la]

Me deixe despida
De corpo e alma nua

Fecho os olhos
E peço aos deuses
Pra continuar a senti–la
[ por mais alguns segundos]
Satisfazendo os meus prazeres

Contra a cortina sopra....
Um vento voraz

E tua imagem envolta-se em vulto
Pelo silêncio da noite chuvosa

Se tornando real
[no meu mundo sub real]

Sinto sua presença..
Que transpira desejo!
[Haaaaaaa são esses mesmos que almejo]

Vem ........ me deixe despida!

Seus passos
A adentram ..o meu devaneio!

Sua boca
Sussura as [in]desejadas palavras

Na promiscuidade
Do intenso desejo

Na demência de um beijo!

Teus dedos
Desliza sob o contorno de meus lábios
Tocando a minha boca ardente

[pela sua carne quente]

Suas mão
Escorrega como notas
Em melodia
Pela minha pele fria

Que arrepia!!

Com o calor do teu corpo
Que me embriaga

[me deixa alucinada]

É essa chama que [ "o" ] envolve
[aquecendo solenemente o meu]

Chega mais perto____vem!! me deixe despida!!

Faça-me ficar deslumbrada
com os seus anseios !!

Percorrendo o meu corpo
Numa azáfama de gestos
incoerentes e descoordenados

Seus passos
A adentram ..o meu devaneio!

Sua boca
Sussura as [in]desejadas palavras

Na promiscuidade
Do intenso desejo

Na demência de um beijo!

Teus dedos
Desliza sob o contorno de meus lábios
Tocando a minha boca ardente

[pela sua carne quente]

Suas mão
Escorrega como notas
Em melodia
Pela minha pele fria

Que arrepia!!

Com o calor do teu corpo
Que me embriaga

[me deixa alucinada]

É essa chama que [ "o" ] envolve
[aquecendo solenemente o meu]

Chega mais perto____vem!! me deixe despida!!

Faça-me perder o controle

Interrompa minha própria voz
De tal maneira
Que os meus próprios sentidos não me respondam!

Juntem-se a vibração de teu ser
Que me entregarei a essa total desordem

Deixe-me Despida...

Quero perder o meu paladar
na mistura do meu com o teu !

Jorra de minha libido
A saliva da tua paixão ...

Deixe-me Despida...

O meu corpo tem a furia
[O instinto de te amar... ]
Tem a sede insaciavel
[Que na tua saliva quero saciar]

Entregue-se a vontade dos
[meus/teus]
instintos
Deixe-me Despida!!

Perdi-me da a noção !
Do certo e o errado
Enfatizada pela emoçao
Do meu corpo entrelaçado no teu!

Quero sentir de novo
O gosto do seu sexo agridoce
A palpitar no meu paladar !

Permita-me!!
Despir-me pra você

Silêncio!!

Nenhuma palavra consiguirá descrever
Os sussurros pecaminosos desta noite!

by Girl Delicate
@Todos Os Direitos Autorais Reservados!







.

2 comentários:

Flor de Azeviche disse...

Adorei, adorei muito
me fez lembrar o livro que estou lendo de Cassandra Rios, As Traças.
PERFEITO.
Beijos e boa semana. =)

»»Luh Kururu«« disse...

Oieee...
Tem mimo pra vc lá no meu cantinho... Espero que goste!

Beijocassss...